skip to content

Aluno de Ciência da Computação desenvolve aplicativo para aprimorar metodologias de ensino

Twitter icon
Facebook icon
Google icon
Arquivo Pessoal
Com: 
Catharina Waichert - Estagiária

A ideia da realidade aumentada consiste em colocar objetos virtuais no mundo real por meio de ferramentas computacionais, atualmente muito difundidas em ambientes de entretenimento, como os jogos. O aluno de graduação do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) Bruno Antônio Lage, em parceria com o professor orientador do projeto Saul Delabrida, desenvolveu um aplicativo que usa critérios de realidade aumentada com aplicação na educação com o objetivo de aprimorar as metodologias de ensino-aprendizagem.

 

O aplicativo é voltado para pessoas sem conhecimento em programação e pode ser utilizado por professores de todas as áreas. A ferramenta vai trabalhar para deixar os dados mais simples e condensados para serem fornecidos aos professores. Outro público seriam os próprios programadores, já que o ArClassEvaluation é uma aplicação de código aberto, em que eles podem ter acesso ao código fonte, modificar ou adaptar, de forma a suprir melhor as necessidades do momento. 

 

Os testes foram executados em duas salas de aula do Bloco de Salas, no Campus Morro do Cruzeiro.

arclass_evaluation_-_main_menu_1.png

Arquivo Pessoal
Menu do aplicativo ArClassEvaluation

O aplicativo, nomeado de ArClassEvaluation, é um aplicativo que antecede a criação de uma aplicação de realidade aumentada e objetiva avaliar o Kit de Desenvolvimento de Software — o SDK (sigla em Inglês) — mais adequado para uma aplicação. Cada SDK possui características que podem se adaptar ou não a determinados ambientes. 

A aplicação do SDK vai captar todos os dados de interesse que interferem na execução, como dados de detecção, grau de iluminação natural ou artificial, horário e luminosidade que incide dentro do sensor de luminosidade do smartphone. Com esse conjunto de dados obtidos, o aplicativo faz a análise para poder determinar qual SDK será melhor. 

O estudante Bruno Antônio explica que o aplicativo ArClassEvaluation contém um conjunto de SDKs e, por meio dele, podem ser executados os testes. "O nosso foco primordial é avaliar salas de aula, captar esses conjuntos de dados e fornecer para quem realizou os testes".

bruno_dias_-_encontro_de_saberes_1.jpeg

Arquivo Pessoal
Bruno Lage durante apresentação no Encontro de Saberes

Para a execução são utilizados marcadores, imagens que servem para ajudar o dispositivo a identificar o ambiente e assim determinar a posição do objeto virtual. Um exemplo de marcador é o QR code, muito popular atualmente em ações de marketing e comunicação. 

Bruno ressalta a importância do desenvolvimento do aplicativo. "No mercado existem muitas ferramentas que dão suporte à criação de aplicações com essa tecnologia. Devido a essa variedade, existe uma dificuldade em identificar qual SDK é mais apropriado para uma aplicação ou outra. O ArClassEvaluation trabalha para identificá-las e agilizar esses processos". 

Em breve, o projeto pode ser disponibilizado no site do laboratório de realidade estendida do Decom. A pesquisa será apresentada pelo estudante no Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), entre 11 e 14 de novembro, em Brasília.

Veja também

30 Junho 2022

O trabalho contou com a colaboração de duas pesquisadoras do Laboratório de Psicofisiologia da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP),...

Leia mais

27 Junho 2022

Trabalhando em conjunto, os professores do Departamento de Jornalismo (Dejor) da Universidade Karina Gomes Barbosa e Felipe Viero Kolinski Machado...

Leia mais

27 Junho 2022

O acordo técnico-científico está sendo realizado pelo Grupo de Estudos sobre Fratura de Materiais (GEESFRAN), do Departamento de Engenharia Metalúrgica...

Leia mais

23 Junho 2022

Intitulado "Atualização sobre diagnóstico rápido para Covid-19: uma revisão sistemática", o trabalho foi realizado pelo grupo de pesquisa do Laboratório...

Leia mais