skip to content

Alunos de escola municipal de Itabirito visitam e apresentam trabalho na UFOP

Twitter icon
Facebook icon
Google icon
Daniel Tulher
Um grupo de 85 estudantes do 8º ano da Escola Municipal Ana Amélia Queiroz (EMAAQ), de Itabirito (MG), realizou nesta terça (22) uma visita técnica na UFOP, com a finalidade de conhecer o campus e apresentar o projeto “Interfaces com a matemática: o turismo pedagógico na escola”. Coordenados pela professora Ana Paula Marques, da EMAAQ, em parceria com a professora Kerley dos Santos Alves, do Departamento de Turismo (Detur) da UFOP, os alunos conheceram o mirante e passearam pelos institutos do Campus Morro do Cruzeiro. Ao final da visita, guiada pelos estudantes do curso de Turismo, eles se reuniram no auditório da Escola de Nutrição (Enut) para exibir os dados estatísticos obtidos com o trabalho em grupo.

Ana Paula é professora de Matemática e explica que o projeto surgiu com o objetivo de ensinar Estatística para as quatro turmas de 8º ano da escola, de maneira que os alunos pudessem se identificar com a matéria e produzir conteúdo. A partir da visita da professora Kerley à EMAAQ, em junho deste ano — quando foram debatidos com os alunos temas como turismo, patrimônio cultural, artístico e ambiental de Itabirito e região —, firmou-se uma parceria entre as duas professoras para a organização da visita à Universidade. 

A metodologia aplicada ao projeto foi a do NEPSO (Nossa Escola Pesquisa Sua Opinião) que consiste, segundo Ana Paula, em estudar sobre um tema de interesse, montar questionários e ir a campo aplicá-los em entrevistas. No projeto “Interfaces com a matemática: o turismo pedagógico na escola”, a proposta dos questionários era que cada turma pesquisasse temas voltados ao turismo, como intercâmbio, turismo municipal e até o Julifest, festa tradicional de Itabirito. A partir daí, eles identificaram números, cruzaram dados e montaram gráficos, que foram feitos a mão pelos próprios alunos. “Eu gostei dos resultados pelo envolvimento deles, porque nós temos alunos que têm dificuldade na matemática e até em falar. Então, eles se identificaram com essa atividade”, comenta Ana Paula. 

Para os alunos Taynã, 14 anos, e Pietra, 13, o trabalho foi uma oportunidade de conhecer mais sobre onde vivem. “Muita gente não sabia como fazer turismo dentro da nossa própria cidade, visitar um local histórico, um ponto turístico”, explica Taynã. Segundo Pietra, o que se destacou no projeto foi a possibilidade de identificar as diferentes opiniões dos entrevistados sobre o assunto. Somente na sala dos dois, foram realizadas 116 entrevistas. Ao fim do trabalho, houve consenso entre os estudantes das diferentes turmas: “turismo não é só o ato de viajar”. 

De acordo com a professora Kerley Alves, o projeto de Ana Paula é voltado para a Pesquisa de Demanda Turística e trabalha com a apropriação dos espaços coletivos e individuais. “Pela via do turismo, a matemática ficou mais palatável para eles, além da valorização da própria cidade e de seus atrativos”, comenta. Kerley, que trabalha com turismo pedagógico desde 2010, acredita que a vinda dos alunos para conhecer a UFOP e apresentar os resultados do projeto incentiva a continuidade dos estudos e o aprendizado. Já para Ana Paula, o intuito do trabalho é despertar os talentos que, muitas vezes, não têm referências e oportunidades para se destacar.
 

hihihi.jpg

Daniel Tulher
Alunos da Escola Estadual Ana Amélia Queiroz assistem às apresentações dos colegas

 
 

Veja também

19 Janeiro 2016

Alunos de todos os cursos da UFOP em Mariana podem se candidatar a duas das vagas de voluntários, sendo um...

Leia mais

20 Janeiro 2016

As aulas de yoga do Centro Desportivo da UFOP (Cedufop) retornam na próxima terça (26), às 7h30. A participação é...

Leia mais

2 Fevereiro 2016

O debate será realizado nesta quarta-feira (03), às 17h30, no auditório do bloco de salas de aula. A discussão é...

Leia mais

12 Fevereiro 2016

A reunião acontece na próxima quarta (17), às 10h, no auditório da Escola de Nutrição, no Campus Morro do Cruzeiro,...

Leia mais