skip to content

UFOP implanta Centros de Custos e descentraliza orçamento

Twitter icon
Facebook icon
Google icon
Iris Jesus

A iniciativa visa modelar os critérios de distribuição de recursos e subsidiar a tomada de decisões na Universidade. Esse modelo de gerenciamento faz parte do Plano de Gestão da UFOP - instrumento que define as realizações da Universidade e os resultados pretendidos - e descentraliza ações e recursos. Em funcionamento desde o início do ano em alguns setores da Instituição, o sistema está regulamentado pela Resolução Cuni 1801. 

Para o reitor Marcone Jamilson Freitas Souza, o sistema é uma necessidade para a Universidade. "Cada setor recebe seus recursos e pode gastar melhor esses recursos com o novo sistema. Porém, é necessário também um melhor planejamento dos gastos", assinala. Ele completa que, o modelo orçamentário utilizado antes limitava o repasse de recursos e, com isso, não contemplava todos os setores. 

Já o diretor de Orçamentos e Finanças (Dof), Eduardo Curtiss, utiliza-se do crescimento da UFOP, a partir da implantação do Reuni, em 2008, para explicar que, com essa evolução da Instituição, crescem também os desafios. Segundo ele, independentemente do atual momento político e econômico, para uma instituição pública sobreviver e dar continuidade às suas atividades e ações, são necessárias mudanças, visando o futuro. "Precisamos otimizar, organizar a Universidade para reduzir despesas, sem reduzir a qualidade. Organizarmos para enfrentar novos cenários", comenta. 

NA PRÁTICA - Cada atividade da Universidade tem um custo. Para isso é necessário um diagnóstico para traçar uma política de investimento. O diretor da Dof busca como exemplo a Divisão de Transporte. "Suponhamos que o setor tenha 100 veículos. Quantos motoristas são necessários? Gera despesas? Sim. Temos DPVAT, outras taxas, garagens, manutenção etc. Diante disso, definimos o modelo de gestão e traçamos um quadro de ações para a Divisão de Transportes. Além disso, temos que definir também quais mudanças o setor precisa implementar para racionalizar recursos. Já realizamos mudanças no deslocamento para a capital e aeroporto. Valeu a pena? Que outras mudanças podem ser propostas e implementadas?", esclarece Curtiss. 

Com a criação dos Centros de Custos, cada setor vai implantar essa política de gerenciamento de acordo com sua necessidade; além disso, ações gerais podem ser viabilizadas, envolvendo todos os departamentos e unidades, como economia de energia, por exemplo. 

TRANSPARÊNCIA E MUDANÇA DE CULTURA - Para fazer ajustes ao modelo proposto, que se adequem às necessidades da UFOP, os treinamentos são realizados junto aos servidores da área administrativa dos diversos setores e unidades da Instituição. "Temos um cronograma de implantação. Os setores vão passar por treinamento e orientação e precisam se adaptar ao modelo. É uma mudança de cultura na gestão de recursos", ressalta Curtiss.  

O sistema é mais uma forma de demonstrar eficiência e transparência da gestão pública, culminando na apresentação de dados mais detalhados sobre a execução orçamentária e financeira da Universidade. 

Confira a entrevista com o reitor Marcone Jamilson Freitas Souza e o diretor da Dof, Eduardo Curtiss, no Plano Aberto, da TV UFOP.  

Veja também

11 Janeiro 2016

Todos os cidadãos têm por direito ter acesso à informação pública, seja ela de interesse pessoal ou coletivo. Esse direito...

Leia mais

15 Janeiro 2016

A Secretaria de Órgão Colegiados (SOC) da Universidade Federal de Ouro Preto também está com a página renovada. O novo...

Leia mais

15 Janeiro 2016

Em decorrência de treinamento com novo software de gestão implantado no Sisbin, as bibliotecas não funcionam nesta segunda (18), retomando...

Leia mais

27 Janeiro 2016

Lançamento do site , reunião com representantes das unidades e de entidades e sistematização das sugestões são as primeiras atividades...

Leia mais