skip to content

Oficinas e Exposições

Confira abaixo todas as oficinas e exposições programadas para o Festival de Inverno:

EXPOSIÇÕES

Todas as exposições são do dia 8 à 17 de julho.

 

OURO PRETO

 

Bordadeiras

Centro de Convenções, Sala Diamantina.

 

Espectar

Fotos de Íris Zanetti

Centro de Convenções, Sala Diamantina.

 

Unidiverso

Fotos de Naty Torres

Centro de Convenções, Sala Diamantina.

 

Exposição Movimento - João Pedro Zuccolotto

Centro de Convenções, Hall de Entrada.

 

Exposição - Retratos e Paisagens do Zé Pereira

Centro de Convenções, Sala Congonhas.

 

Exposição de Maquetes de Cenografia

Centro de Convenções, Sala Diamantina.

 

Arte, Resistência e Solidariedade

Casa dos Contos 1
Segunda-feira das 14h às 18h;
Terça a sábado das 10h às 17h;
Domingos e feriados das 10h às 15h.

 

Exposição Terra Prometida ecoa o mar de lama

De 7 a 30 de julho
Casa dos Contos 2
Segunda-feira das 14h às 18h;
Terça a sábado das 10h às 17h;
Domingos e feriados das 10h às 15h.

 

Exposição Olho no Olho - Coletivo Olho de Vidro

Fiemg.

 

Exposição de fotografias e vídeos sobre o Projeto Circo, Arte e Educação

Somente nos dias 14 e 15
Na lona do projeto Circulatrilho
 

Exposição: Singularidades e memórias no velho continente: veredas de um ensaio fotográfico

Entre os dias 13 e 31 de julho
Grêmio Literário Tristão de Ataíde (GLTA)
Rua Paraná, 136 - Centro de Ouro Preto
Telefone: 3551-2093
Horário de visitação: 8h às 12h e de 13h às 18h (de segunda a sexta)
8h às 18h (sábados e domingos)
 

 

MARIANA

 

Paisagem Biográfica - fotos de Leandro Moretti

Sesi - Galeria

Arte e Artesanato - Solidariedade e Resistência

Casa de Arte e Artesanato

Exposição Coletiva Associação Marianense de Artistas Plásticos

AMAP

 

 

OFICINAS

Oficina: Criação Tridimensional – Esculturas em Arame Farpado

Data: 13, 14 e 15 de julho de 2016.

Hora da Oficina: 9h às 12h

Responsável pela Oficina: Azor Borges

Resumo da Oficina: Esta oficina propõe o exercício da criação tridimensional a partir da utilização do arame farpado como material expressivo e artístico, tendo por base a instrumentalização do participante na utilização de ferramentas e princípios técnicos específicos.

Local da Oficina: Ateliê Domitila do Núcleo de Arte da FAOP.

Cidade: Ouro Preto

Material: 1 pedaço de arame farpado, 1 alicate ou torquesa.

Público Alvo: alunos da FAOP e interessados em geral, a partir de 18 anos.

Vagas: 12

Oficina Proposta pela Fundação de Arte de Ouro Preto
Inscrições gratuitas. Vagas limitadas.
Informações pelo telefone: 3551-5052 (Núcleo de Arte da FAOP)

 

Oficina: Desenh(ação) + Monotipias

Data: 13, 14 e 15 de julho de 2016.

Horário da Oficina: 14h às 18h

Responsáveis pela Oficina: Ivi Martins e Ana Fátima Carvalho

Resumo da Oficina: Esta oficina propõe a discussão de questões atuais e a confecção de materiais gráficos e pictóricos (post-its, panfletos, cartazes e faixas) para intervenção artística na cidade de Ouro Preto, por meio das técnicas de monotipia, desenho e pintura sobre suportes variados.

Local da Oficina: Ateliê de Gravura do Núcleo de Arte da FAOP.

Cidade: Ouro Preto

Material do aluno: Post-its, papéis e material de desenho e pintura disponíveis.

Público Alvo: alunos da FAOP e interessados  em geral, a partir de 16 anos.

Vagas: 12

Oficina Proposta pela Fundação de Arte de Ouro Preto
Inscrições gratuitas. Vagas limitadas.
Informações pelo telefone: 3551-5052 (Núcleo de Arte da FAOP)

 

Oficina: Diversão nos Museus

Data: 11 a 14 de julho de 2016.

Horário da Oficina: 09h às 12h

Responsável pela Oficina: Edson Fialho de Resende e Ingrid da Silva Borges

Equipes: Funcionários dos Museus e Bolsistas dos Projetos integrantes dos Programas Coleções Museológicas da UFOP: Preservando e difundindo Conhecimento e Pró Ciência.

Resumo da Oficina: A Universidade Federal de Ouro Preto possui um expressivo acervo museológico sob a responsabilidade das unidades acadêmicas das Escolas de Minas e Farmácia, a saber: Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas (MCT/EM) e Museu da Farmácia (MPh). Entre as coleções, são identificados objetos únicos e representativos do desenvolvimento tecnológico e científico do país, com valores intrínsecos pelas singularidades de duas instituições criadas em Ouro Preto no século XIX, precursoras nas áreas de engenharias de Minas, Metalúrgica e Farmacêutica. Caracterizados como resquício de uma cultura material, os objetos são testemunhos afirmativos de alguns processos transformadores da sociedade brasileira.

Esses museus desenvolvem várias ações para difundir suas coleções que vão além das exposições, entre elas os programas Coleções Museológicas da UFOP: Preservando e difundido o conhecimento e o Pró-ciência, que juntos vem desenvolvendo uma política preservacionista e de difusão para as coleções museológicas. Por meio do ensino, pesquisa e extensão, os programas buscam difundir o conhecimento sobre os temas dos referidos museus junto ao processo de apropriação da memória científica e tecnológica brasileira. Tais programas estão alinhados, conceitualmente, no âmbito da cultura e da arte, com a aplicação do conhecimento acadêmico interdisciplinar nas diversas áreas de atuação da UFOP.

Dentro desta perspectiva e juntamente com as ações do Festival de Inverno Fórum das Artes 2016, propõe-se uma oficina educativa e interdisciplinar nos museus como forma de despertar no público alvo uma compreensão sobre os espaços museais da universidade e uma apropriação das potencialidades oferecidas pela valiosa coleção.

Público Alvo: crianças de 09 a 12 anos

Vagas: 15

Período: 11 a 14 de julho de 2016

11/07: Visita orientada ao Museu da Farmácia e oficina de Monotipia.
12/07: Visita orientada ao Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas.
13/07: Ação Educativa: as coleções de Taxidermia dos Museus da UFOP.
14/07: Ação Educativa: Planetário Inflável

Oficina proposta pelo Sistema de Museus
Atividades sujeitas a alterações.

 

Oficina: Guitarra Prática

Data: 11, 12 e 13 de julho de 2016

Horário da Oficina: 15h às 17h

Responsável pela Oficina: Marquinho Aniceto

Resumo da Oficina: A Oficina de Guitarra Prática abordará elementos básicos, teóricos, práticos e técnicos da guitarra, para uma melhor execução e performance do instrumento, buscando habilitar o instrumentista a trabalhar com repertório e aprimorar sua técnica de improvisação e sua criatividade musical.

Local da Oficina: Sala de Música do Núcleo de Arte da FAOP.

Cidade: Ouro Preto

Material do aluno: guitarra com correia, cabo, lápis, caderno pautado (de música), borracha.

Público Alvo: pessoas em nível intermediário e avançado na prática da guitarra

Vagas: 10

Oficina Proposta pela Fundação de Arte de Ouro Preto
Inscrições gratuitas. Vagas limitadas.
Informações pelo telefone: 3551-5052 (Núcleo de Arte da FAOP)

 

Oficina: Lygia Clark + Poesia Concreta

Data: 11 e 12 de julho de 2016.

Horário da Oficina: 9h às 13h

Responsável pela Oficina: Isadora Parreira e Camila Dal Col

Resumo da Oficina: Esta oficina se divide em dois momentos: no primeiro, traça um paralelo entre a vida e a obra da artista plástica Lygia Clark, explorando questões de ordem teórica e as experimentações práticas de natureza sensorial propostas pela artista. No segundo momento, voltado para a Literatura, a oficina propõe o estudo e a discussão da Escola Concretista, com ênfase na Poesia Concreta.

Local da Oficina: Sala Multimídia do Núcleo de Arte da FAOP.

Cidade: Ouro Preto

Material do aluno: Lápis, borracha, papel rascunho (de qualquer natureza - cartão, A3, A4...), materiais diversos (como bolinha de gude, de ping-pong, pedras, conchas, sementes, meias-calças, arame, pedaços de tubo de PVC, cacos de cerâmica), 1 carretel de linha, sacos plásticos de tamanhos diversos (daqueles de sacolão).

Público Alvo: comunidade acadêmica, alunos da FAOP e interessados em geral, a partir de 16 anos.

Vagas: 20

Oficina Proposta pela Fundação de Arte de Ouro Preto
Inscrições gratuitas. Vagas limitadas.
Informações pelo telefone: 3551-5052 (Núcleo de Arte da FAOP)

 

Oficina: Maldito Word

Data: 08 e 09 de julho de 2016

Horário da Oficina: 15h às 18h

Responsável pela Oficina: Geraldo Octaviano

Resumo da Oficina: Somos diariamente influenciados por aplicativos de computadores que fazem edição de texto. Eles nos adestram a estabelecer formatos não só nas produções de nossos textos escritos, mas também em outros processos de criação, inclusive artísticos. Depois de tanto utilizar desses recursos, todo o nosso pensamento trabalha na mesma lógica O criador é o mesmo sujeito que já internalizou um sistema de composição e formatação de textos. A oficina, de iniciação, visa exercitar outras técnicas de criação e desformatação do artista criador nos seus processos de composição, especialmente na relação com a fala, o desintoxicando da lógica do editor de texto em nós impregnada.

Local da Oficina: Sala 35, Escola de Minas, Praça Tiradentes.

Cidade: Ouro Preto

Material: roupas confortáveis para práticas corporais

Público Alvo: a partir de 16 anos

Vagas: 20

 

Oficina: Museus de Ouro Preto caminhos e paisagens

Período: 11 a 15 de julho de 2016

Horário: 13 às 17hs

Responsável pela Oficina: Sistema de Museus de Ouro Preto – As atividades serão desenvolvidas pelas equipes dos Museus Visitados e serão acompanhadas pela equipe Administrativa do Sistema de Museus

Resumo da Oficina: A ideia de bem cultural está intrinsecamente ligada à vida e seus elementos articulados, encadeados em sistemas e produzindo culturas. O ser humano, ao produzir cultura, constrói uma quantidade infinita de códigos, referências, posturas, valores, tradições, que vão sendo perpetuados, interpretados e re-significados através das gerações, numa multiplicidade infinita de contextos. Difícil é desfiar o novelo sem perder o fio da meada, diz o dito popular. Este fio, à medida que for sendo trançado, se transforma em tramas, tessituras variadas que vão se sobrepondo em um processo dinâmico e contínuo, aberto e flexível, acumulando saberes e fazeres através do tempo. O bem cultural então estaria relacionado a situações específicas geradoras de cultura, devido à grande diversidade de manifestações provenientes dos diferentes contextos sociais. São manifestações impregnadas de valor histórico, valor criativo, valor individual espontâneo e que se inserem na dinâmica viva do cotidiano e se constituem em elementos autênticos de uma nacionalidade.

Os museus são instituições argumentativas, persuasivas, sedutoras. Falam através dos objetos em exposição, percebidos singularmente pelo público visitante. O objeto enquanto documento museal apresenta-se aberto a múltiplas leituras, é um pedaço de linguagem viva, pois, em seu substrato, está inserido uma situação humana, um modo de vida, um modo de pensar, toda uma consciência de estar no mundo.

Dentro da programação do Festival de Inverno e Fórum das Artes 2016, os museus de Ouro Preto propõem um percurso norteado por um contraponto: representação Irreal do Real, a partir da perspectiva dos caminhos percorridos pelo homem em busca da realização de seus impulsos relacionados à tendência em descobrir, conhecer, mapear o planeta e o universo. Os caminhos Irreais vão sendo delineados, exatamente, quando o homem aprende a domesticar animais, caçar e se proteger. Quando descobre a eternidade para compensar a morte e a beleza para compensar a dor.

Buscar a irrealidade no real – no contexto específico dos museus – significa explorar o conceito de mobilidade através dos (des) caminhos, dos roteiros imaginários, dos lugares nunca percorridos, dos passos e movimentos em busca de alguma coisa absolutamente necessária às nossas utopias, às nossas crenças, à nossa infinita necessidade de materializar o belo.

Os Caminhos Reais foram sendo traçados em diferentes momentos históricos brasileiros – épocas colonial, imperial e republicana – e seus registros/fragmentos materiais fazem parte de coleções museológicas. Caminhos percorridos por índios, por bandos de salteadores, por tropas a serviço da Coroa portuguesa, pelos bandeirantes, por tropeiros, por escravos africanos, por representantes do clero, por fidalgos, comerciantes, pelos imperadores, por viajantes estrangeiros (artistas, engenheiros, cientistas), por intelectuais, poetas e artistas modernistas, pelos cantadores e trovadores, por catadores de papel, enfim, por aqueles que se manifestam culturalmente de forma genuína.

Assim sendo, no mês de julho, estão em destaque, nos museus de Ouro Preto, objetos que contam um pouco da nossa pré-história, dos desbravamentos do sertão e  caminhos do ouro, dos (des) mandos da Coroa Portuguesa, de fé e expressão artística, das ciências naturais e também testemunhos de amores irrealizáveis.

– Yára Mattos (Museóloga/ Professora do Departamento de Museologia/UFOP – Coordenadora do Projeto Ecomuseu da Serra de Ouro Preto)

Roteiros:

11/07: Museus e Ciências
(Encontro às 13hs no Museu da Farmácia – Rua Costa Sena, 171, Centro, Ouro Preto)
12/07: Os Museus e a Inconfidência
13/07: Museus e Culturas Religiosas
14/07: Os Museus e os caminhos do Ouro
15/07: Museus e Paisagens

Taxa de Participação de R$10,00 para lanche no último dia, que será recebida até o dia 13/07 durante as atividades.

Público Alvo: Livre

Vagas: 12

Oficina proposta pelo Sistema de Museus
Atividades sujeitas a alterações.

 

Oficina: Na trilha do som! – Oficina de criação de trilhas sonoras para TV, cinema e videogames

Data: 15,16 e 17 de julho de 2016

Horário da Oficina: 9h30 às 12h30

Responsável pela Oficina: Samuel Ribeiro (IFRJ)

Resumo da Oficina: Atualmente, além do cinema e da televisão o conceito de trilha sonora tem se ampliado e vem sendo aplicado aos jogos digitais, produções audiovisuais para internet e até aplicativos para celular. Com a convergência tecnológica e o crescimento deste mercado, cada vez mais são necessários profissionais preparados, equipados e criativos.

Tópicos a serem desenvolvidos:

Criação de trilhas, temas e efeitos especiais

Análise de trilhas sonoras

Sincronismo Técnico e Afetivo

Teoria musical

Local da Oficina: ICSA, campus Mariana

Cidade: Mariana

Material: fone de ouvido

Público Alvo: a partir dos 17 anos, estudantes, editores e interessados no assunto.

Vagas: 20

 

Oficina: O devir-animal e o Teatro da Crueldade: como produzir para si um corpo desembestado?

Data: 13 a 15 de julho de 2016

Horário da Oficina: 09h às 13h

Responsável pela Oficina: Matheus Silva

Resumo da Oficina: A oficina explorará a criação de um corpo desembestado, através de dispositivos e considerações inventivas do Teatro da Crueldade, do artista francês Antonin Artaud, e da arte da performance. Propõe-se, neste cruzamento de pesquisas, através de um método cartográfico explorar conceitualmente e corporalmente os conceitos filosóficos de Gilles Deleuze e Félix Guattari, devir-animal e blocos de sensações, para a feitura de uma prática de desqualificação da racionalidade e produção de acontecimentos performáticos.

Local da Oficina: Sala 35, Escola de Minas, Praça Tiradentes.

Cidade: Ouro Preto

Material: Roupas confortáveis para práticas corporais

Público Alvo: a partir de 16 anos.

Vagas: 20

 

Oficina: O empoderamento da mulher através da fotografia

Data: 08 e 09 de julho de 2016

Horário da Oficina: 13h às 17h

Responsável pela Oficina: Paula Peçanha

Resumo da Oficina: A oficina tem como objetivo aliar o ensino da técnica da fotografia com a conscientização e empoderamento de mulheres, mostrando a beleza e o poder de cada mulher, independente de padrões impostos pela sociedade. Podem ser usadas câmeras fotográficas ou celulares.

Local da Oficina: ICSA, campus Mariana

Cidade: Mariana

Material: Câmeras fotográficas ou celulares, papel e caneta.

Público Alvo: Mulheres a partir de 15 anos.

Vagas: 20

 

Oficina: O empoderamento da mulher através da fotografia

Data: 10 e 11 de julho de 2016

Horário da Oficina: 13h às 17h

Responsável pela Oficina: Paula Peçanha

Resumo da Oficina: A oficina tem como objetivo aliar o ensino da técnica da fotografia com a conscientização e empoderamento de mulheres, mostrando a beleza e o poder de cada mulher, independente de padrões impostos pela sociedade. Podem ser usadas câmeras fotográficas ou celulares.

Local da Oficina: Centro de Convenções, Salão Tiradentes

Cidade: Ouro Preto

Material: Câmeras fotográficas ou celulares, papel e caneta.

Público Alvo: Mulheres a partir de 15 anos.

Vagas: 20

 

Oficina: Oficina de Banda Sinfônica

Data: 11 de julho de 2016

Horário da Oficina: 20h às 21h30

Responsável pela Oficina: Maestro Rafael Guimarães

Resumo da Oficina: A oficina propõe a prática de conjunto de repertório típico das bandas de música, obras originais pra banda sinfônica, além de arranjos e transcrições da música popular e erudita. A Banda Sinfônica da UFOP está vinculada à disciplina “Grandes Grupos Instrumentais” do DEMUS e viabiliza um espaço que prioriza a formação do músico profissional além de dialogar com a tradição centenária das bandas de música.

Local da Oficina: Sala B4, Departamento de Música, Campus da UFOP

Cidade: Ouro Preto

Material: cada músico deve levar seu instrumento e estante

Público Alvo: a partir de 12 anos, músicos da região e estudantes de instrumentos de sopro.

Vagas: 40

 

Oficina: Oficina de Fotografia do Coletivo Olho de Vidro

Data: 08 a 15 de julho de 2016

Resumo da Oficina: Com uma década de vida, o Olho de Vidro sentiu necessidade de oferecer algo a mais para os apreciadores da fotografia. Haverá uma oficina ofertada pelos três fotógrafos, cujos temas serão debatidos e escolhidos durante as aulas. A produção das fotos será feita durante cinco dias e as imagens selecionadas irão compor o evento Fotógrafos em Ouro Preto, que acontece em agosto. Para participar, é necessário ter conhecimentos básicos de fotografia e uma câmera com controle manual.

As inscrições podem ser feitas pelo email: coletivoolhodevidro@yahoo.com.br.

Programação:
08 de julho, sexta-feira,  às 11h - lançamento da oficina durante a conversa "Olho de Vidro 10 anos" com os fotógrafos.

Local: Centro Cultural Sesi-Fiemg (Praça Tiradentes, 04, Ouro Preto)

09 de julho, sábado, das 10h às 12h - apresentação dos temas em conjunto com os três fotógrafos e das 15h às 17h discussão dos temas escolhidos pelos alunos com o fotógrafo responsável

10 a 14 de julho, domingo à quinta-feira, produção das fotografias pelos alunos de acordo com os temas escolhidos.

15 de julho, sexta-feira, de 9h às 13h, avaliação e seleção dos trabalhos a serem apresentados em projeção na exposição Olho de Vidro durante o Fotógrafos em Ouro Preto.

Oficina proposta pelo Coletivo Olho de Vidro
Mais informações pelo email: coletivoolhodevidro@yahoo.com.br
Sujeita a alterações.

 

Oficina: Poesia Viva: Aldravias no Festival de Inverno

Data: 09 de julho de 2016

Horário da Oficina: 14h às 16h30

Responsável pela Oficina: Andreia Donadon Leal

Resumo da Oficina: Os professores-poetas mineiros, José Benedito Donadon Leal e Andreia Donadon Leal, mostrarão aos participantes do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, suas experiências poéticas, em 02 (duas) oficinas, utilizando como suporte a Aldravia – poema de origem Brasileira, criado na cidade de Mariana - MG, pelos poetas do Movimento Aldravista, e hoje conta com milhares de praticantes e estudiosos brasileiros e europeus. Trata-se de um poema sintético constituído de 06 (seis) palavras-verso.  A aldravia auxiliará os participantes a aliarem o sentimento com a construção textual durante a criação poética. O processo iniciar-se-á da seguinte forma: o público aprenderá a utilizar os sentidos, observando atentamente as imagens, para tirar linguagem poética daquilo que eles veem, sentem e ouvem. Nesta edição, os oficineiros vão propor a construção de aldravias temáticas, que explorarão o título proposto do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana.

Local da Oficina: ICSA, campus Mariana

Cidade: Mariana

Vagas: 25 vagas

Material: lápis, borracha e folha de papel A4.  

Público Alvo:09 a 90 anos, alunos e educadores.

 

Oficina: Poesia Viva: Aldravias no Festival de Inverno

Data: 08 de julho de 2016

Horário da Oficina: 14h às 16h30

Responsável pela Oficina: Andreia Donadon Leal

Resumo da Oficina: Os professores-poetas mineiros, José Benedito Donadon Leal e Andreia Donadon Leal, mostrarão aos participantes do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, suas experiências poéticas, em 02 (duas) oficinas, utilizando como suporte a Aldravia – poema de origem Brasileira, criado na cidade de Mariana - MG, pelos poetas do Movimento Aldravista, e hoje conta com milhares de praticantes e estudiosos brasileiros e europeus. Trata-se de um poema sintético constituído de 06 (seis) palavras-verso.  A aldravia auxiliará os participantes a aliarem o sentimento com a construção textual durante a criação poética. O processo iniciar-se-á da seguinte forma: o público aprenderá a utilizar os sentidos, observando atentamente as imagens, para tirar linguagem poética daquilo que eles veem, sentem e ouvem. Nesta edição, os oficineiros vão propor a construção de aldravias temáticas, que explorarão o título proposto do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana.

Local da Oficina: Centro de Convenções, Salão Tiradentes

Cidade: Ouro Preto

Vagas: 25 vagas

Material: lápis, borracha e folha de papel A4.  

Público Alvo:09 a 90 anos, alunos e educadores.

 

Oficina: Processo de criação: reexperimentando o fazer do “Só”

Data: 11 e 12 de julho de 2016

Horário da Oficina: 14h às 19h

Responsável pela Oficina: Anselmo Bandeira

Resumo da Oficina: A oficina tem o caráter de compartilhamento, ampliação e desdobramento, de maneira resumida, dos exercícios técnicos e artísticos utilizados na criação do espetáculo "Só", dirigido por Anselmo Bandeira e Jéssica Ribas. Onde se utiliza como inspiração e base teórica/prática a pesquisa sobre a Companhia Duplô (RJ), o Teatro Sinestésico, e suas referências, como Antonin Artaud. A sinestesia, segundo o ponto de vista do trabalho, se apresenta como base de criação, onde as sensações e os motes liberados ao acessar o inconsciente são matéria-prima para o fazer artístico. O trabalho parte do corpo em sua completude, no qual tudo se pode e que nada esconde. Em meio aos exercícios iremos propor um questionamento, não somente sobre a solidão do ator/artista, sobre a solidão na sociedade contemporânea.

Local da Oficina: Centro de Convenções, Salão Tiradentes,

Cidade: Ouro Preto

Material: Roupas neutras confortáveis e toalha de rosto

Público Alvo:14 anos. Atores, alunos de artes cênicas e interessados que possuam algum conhecimento prévio.

Vagas: 20

 

 

Oficina: Sketchbook – Desenho de Figura Humana

Data: 11 e 12 de julho de 2016

Horário: 14h às 17h

Responsável pela Oficina: Poliana Reis

Resumo da Oficina: Esta oficina tem como premissa vivenciar o desenho de figura humana em nosso cotidiano, com práticas em espaço aberto, produzindo croquis, desenhos rápidos que capturam o tempo, a passagem, o movimento e a memória. O participante também irá confeccionar seu caderno de desenho e interagir com seus colegas e com a cidade de Ouro Preto.

Local da Oficina: Ateliês de Desenho e de Pintura do Núcleo de Arte da FAOP

Cidade: Ouro Preto

Material do aluno: Bloco de folhas brancas, tamanho A4, caneta preta roller ball gel, lápis crayon Conté à Paris macio (vermelho, preto, branco), lápis grafite de gradação variada.

Público Alvo: alunos da FAOP e interessados em geral, com conhecimento de desenho básico, a partir de 16 anos.

Vagas: 12

Oficina Proposta pela Fundação de Arte de Ouro Preto
Inscrições gratuitas. Vagas limitadas.
Informações pelo telefone: 3551-5052 (Núcleo de Arte da FAOP)

 

Oficina: Técnicas de ensino e performance para instrumentos musicais da família dos metais e demais sopros.

Data: 11 de julho de 2016

Horário da Oficina: 18h às 20h

Responsável pela Oficina: Erico Fonseca

Resumo da Oficina: Workshop sobre técnica, interpretação e estratégias pedagógicas. Conceitos sobre respiração, embocadura, organização do estudo, interpretação e prática de conjunto.

Local da Oficina: Sala B3, Departamento de Música, Campus da UFOP

Cidade: Ouro Preto

Material: cada músico deve levar seu instrumento e estante

Público Alvo: a partir de 12 anos, músicos da região e estudantes de instrumentos de sopro.

Vagas: 40

 

Oficina: Tratamento de imagem em Photoshop

Data: 11 a 15 de julho de 2016

Horário da Oficina: 09h às 12h

Responsável pela Oficina: Márcio Mattos

Resumo da Oficina: A Oficina de Tratamento em Photoshop tem o intuito de apresentar as quatro capacidades dentro do software que serviram de elemento chave para a manipulação de imagens em geral com o programa. Estas são; correção de luz e cor, tratamento e retoque de imagens, seleção e corte de imagens e tratamento de pele. Com isso espera-se que o aluno tenha a capacidade de criar infinitas edições e manipular seus trabalhos com ajuda das ferramentas do programa, da capacidade de selecionar e cortar um objeto da imagem, corrigir os erros de uma imagem e retoca-la.

Local da Oficina: ICSA, campus Mariana

Cidade: Mariana

Material: bloco de notas ou caderno, lápis, borracha e pen drive.

Público Alvo: a partir de 18 anos. Fotógrafos, estudantes de Jornalismo, Comunicação, Publicidade. Editores de imagens iniciantes e designers.

Vagas: 20

 

Oficina: Um Olhar, Curso de Fotografia com Eduardo Tropia

Data: 16 e 17 de julho

Valor: R$ 300,00

Resumo da oficina: Visando a prática sob iluminação natural e uma eduacão do Olhar, o workshop é baseado em passeios fotográficos em diferentes horários para observação de sua variação nos períodos de amanhecer, entardecer e anoitecer, apresentando aos participantes as técnicas fotográficas, de luz e de manuseio do equipamento. Dividido em duas etapas, teórica e prática, o trabalho abrange a história do fotógrafo Eduardo Tropia na  fotografia e a  sua vasta produção e criação, abordando a evolução dos equipamentos e os estilos do ofício de fotografar.

Para mais informações clique alqui.